TRANSPLANTE HEPÁTICO

INDICAÇÕES

TÉCNICAS CIRÚRGICAS

FATORES DE RISCO

CUIDADOS ESPECIAIS

VENTILAÇÃO MECÂNICA

CONDUTA FISIOTERAPÊUTICA

ORIENTAÇÃO / CUIDADOS

FLUXOGRAMA

 

Menu Fisioterapia

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

 

 

 

 

INDICAÇÕES

GRUPO 1

Doenças Biliares

            Cirrose Biliar Primária

            Colangite Esclerosante Primária

            Atresia de Vias Biliares

            Doenças Ductopênicas

Doenças Metábolicas

            Polineuropatia Amiloidóitica Familiar

            Hemacromatose

            Oxolose Tipo I

             

GRUPO 2

Doenças Virais

            Hepatite Virais tipo B, C e Delta

            Hepatite Fulminante

            Tumores Hepáticos

            Alcoolismo

 

Voltar ao topo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

 

TÉCNICAS CIRÚRGICAS

Transplante Ortotópico :

Retirada total do órgão doente e substituição pelo enxerto.

Incisão : subcostal direita até retroperitônio. subcostal esquerda ate muscúlo reto-abdominal. Prolongamento mediano  até apêndice xifóide somente em pacientes obesos ou dificuldade do acesso cirúrgico.

Método : ocorre o pinçamento da veia Cava Inferior Supra-Hepática próxima ao músculo diafragma, podendo ocorrer sua paralisia por lesão frênica.

  Piggy back : Transplante tipo ortotópico.

Incisão : subcostal direita até retroperitônio. subcostal esquerda até muscúlo reto-abdominal.

 

Método : Sem circulação extracorpórea.

Diminui o  risco de tromboembolismo.

Menor risco de lesão do  nervo frênico.

Maior incidência de infiltrado pulmonar pelo clampeamento da veia Cava Inferior e pela liberação de mediadores inflamatórios.

  

Voltar ao topo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

 

FATORES DE RISCO

 

Voltar ao topo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

CUIDADOS ESPECIAIS

 

Voltar ao topo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

 

VENTILAÇÃO MECÂNICA

 

Volume Corrente : 06 a 08 ml/kg

Modo Ventilatório: PCV

Peep : 04 cmH20

Fi02 : para Sato2 => 95 %

 

Voltar ao topo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

 

CRITÉRIOS EXTUBAÇÃO

 

Estabilidade     Hemodinâmica

Exames específicos :  INR < 3.0

Tobin : < 100

Relação PaO2/FiO2 ³ 200

Encefalopatia Hepática: £ 02

Voltar ao topo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

 

 

CONDUTA FISIOTERAPÊUTICA

Técnicas de higiene brônquica

Técnicas de reexpansão pulmonar

Recrutamento alveolar

Exercícios de flexibilidade muscular

Exercícios passivos, ativos-assistidos e ativos livres globais

Treinamento da  musculatura respiratória

Sentar em poltrona

Voltar ao topo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

 

ORIENTAÇÃO / CUIDADOS

Posicionamento no leito

Decúbito elevado 30 graus

Orientação de exercícios respiratórios

Tosse assistida

Reavaliação diária

Indicação de fonoaudiologia s/n

 

Voltar ao topo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

 

 Fluxograma

 

Admissão na UTI

 

 

 

 

 

 

 

 

IOT

VENTURI

 

 

 

 

 

 

 

 

PVC

VC: 6-8 ml/kg

Peep 4 cmH20

RPPI + CR + MMSS

Respiron  +  Tosse

Fisioterapia motora

 

 

 

 

 

DP + MC + ASP

 

 

 

 

PAV:

Pimáx+Pemáx+PV

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pimáx < = 30

Treinamento muscular

 

 

 

 

 

 

 

PaO2/FiO2 >= 200

Estabilidade Hemodinamica

Exames específicos Tobin <100

 

 

 

 

Sim

Não

 

 

 

 

 

 

Desmame

Desmame difícil

 

 

 

 

 

 

Extubação

 

 

 

 

 

 

VNI

 

 

Voltar ao topo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.